Apresentação

 

APRESENTAÇÃO

Este número da Web-Revista Discursividade - Estudos Lingüísticos (UEMS) publica alguns dos trabalhos apresentados na Jornada de Letras e Tradutor e Intérprete – Graduação e Pós-Graduação 2009, da Universidade de Franca (Franca-SP), ocorrida em agosto de 2009 nessa instituição.

A Universidade de Franca mantém relação institucional com a UEMS através do grupo GADI (Grupo de Pesquisa em Análise do Discurso), grupo interinstitucional que consta no Diretório de Grupos do CNPq e que apoia a publicação e edição deste periódico. Esta publicação visa, portanto, divulgar as pesquisas realizadas nesse espaço institucional, em especial no Mestrado em Linguística, que se concentra na área dos estudos do texto e do discurso, e nos cursos de Letras e de Tradutor e Intérprete dessa IES.

Os cinco primeiros artigos são trabalhos desenvolvidos no interior do projeto de pesquisa “Gêneros orais: aspectos argumentativos e prosódicos”, sob responsabilidade de Maria Flávia Figueiredo, docente do Programa de mestrado em questão. Esse projeto visa à investigação dos aspectos argumentativos e prosódicos e de suas intersecções em diferentes gêneros da modalidade oral.

Assim, em “A elocução retórica das palestras motivacionais: os recursos de presença do discurso empresarial”, as autoras analisam um texto oral proferido para o segmento empresarial, mostrando como os recursos de presença dão visibilidade aos argumentos com a utilização de histórias e com o poder persuasivo das figuras retóricas. No artigo “Competência metagenérica na leitura de textos bíblicos”, a autora discorre sobre as características do texto bíblico que dificultam a sua legibilidade, entre elas a multiplicidade de gêneros que o compõem. “Do beijo ao abraço: o pudor na tradução de textos bíblicos” é um artigo que reflete acerca da ação do pudor sobre o resultado da tradução dentro do (con)texto sagrado, em diferentes edições da Bíblia. Os autores do artigo “Pirar" sim, mas com Jesus: a linguagem coloquial da igreja Bola de Neve” têm por objetivo descrever, a partir dos arcabouços teóricos da argumentação e da prosódia, a linguagem utilizada pelo Apóstolo Rina, fundador da igreja Bola de Neve Church, na pregação intitulada Só Deus para me aguentar – a linguagem informal, típica de grupos sociais “praieiros”, aproxima o pregador de seu auditório, constituindo-se em importante instrumento de persuasão. Por fim, o artigo “Hipotipose e prosódia: “o ver ouvindo” no discurso radiofônico religioso de padre Marcelo Rossi” tem por objetivo refletir sobre os elementos prosódicos e seus efeitos argumentativos durante a construção da figura de presença hipotipose no discurso religioso radiofônico.

Outros dois artigos publicados neste número são estudos desenvolvidos na perspectiva da análise do discurso. Em “A representação da polêmica sobre o uso de estrangeirismos no Brasil feita por um jornalista norte-americano”, as autoras, considerando as reflexões bakhtinianas sobre o dialogismo e a refração ideológica que se dá a partir do discurso, visam analisar como se dá a ressignificação do discurso na representação feita pelo jornalista norte-americano Larry Rohter, em matéria publicada pelo The New York Times, da polêmica recente sobre os estrangeirismos no Brasil. O artigo “Discurso jurídico, mulher e ideologia: uma análise da Lei Maria da Penha” toma como corpus a lei em questão e pretende averiguar em que medida esse discurso materializa a tensão contemporânea vivida pela mulher brasileira, entre a submissão e o papel de protagonista de grandes feitos.

Por fim, o artigo “Relacionamentos amorosos da mulher moderna: até quando esperar pela “alma gêmea”” tem por arcabouço teórico os estudos semióticos, com ênfase nos estudos sociossemióticos de Eric Landowski. As autoras, a partir da análise de relatos presentes em dois periódicos femininos contemporâneos brasileiros, verificam como a mulher de hoje se posiciona perante a instituição casamento.

Os trabalhos publicados nesta edição contribuem para a discussão que se faz na área dos estudos do texto e do discurso e refletem as duas linhas de pesquisa que têm sido desenvolvidas na Universidade de Franca: “Discurso: sentido, comunicação e representação” e “Processos e práticas textuais caracterizações e abordagens teóricas”.

 

Marina Célia Mendonça

Lúcia Maria Guimarães Nassim